• Av. Conselheiro Rosa e Silva, 1460 - Salas 101/102
  • 81 3426.0126 - 8831.0734

APARELHO INTRA-ORAL PARA APNEIA

aparelho apneia

Conceito
Os Aparelhos Intra-orais (AIO) para tratamento de apneia e ronco são dispositivos usados na cavidade oral durante o sono, com o objetivo de prevenir o colapso entre os tecidos da orofaringe e da base da língua, reduzindo os efeitos obstrutivos da via aérea superior.

Indicações
Primária:
- Ronco primário;
- Síndrome da Apneia Obstrutiva do Sono (SAHOS) leve a moderada;
- Síndrome de Resistência de Vias Aéreas superiores (SRVAS);
Secundária:
- SAHOS moderada à severa em caso de não aceitação e adesão ao tratamento com CPAP;
- Medida auxiliar ao tratamento cirúrgico.

Tipo de Aparelho
O aparelho por nós utilizado apresenta as seguintes características:
- Semi-rígido: feito com duas placas de acetato ou durasoft, sendo portanto mais confortável;
- Confeccionados em laboratório: são individualizados e menos volumosos;
- Dois blocos: permite mobilidade mandibular lateral e vertical que o monobloco não proporciona, reduzindo assim o risco de dor nos músculos da mastigação e articulação temporomandibular (ATM);
- Ajustáveis: propicia o avanço mandibular progressivo.

Eficácia
Estudos mostram que o sucesso do tratamento com AIO em pacientes com SAOS leve a moderada é em torno de 80% e de apenas 29% em SAHOS grave (parcialmente efetivo em 62%).
Bons resultados podem estar associados a fatores relacionados ao paciente:
- Idade: quanto mais jovem, melhor a resposta;
- Gravidade da SAHOS: quanto mais grave, pior a resposta;
- Posição de dormir: melhor resultado em apneias posicionais de decúbito dorsal;
- Índice de Massa Corporal e Circunferência de pescoço: quanto mais obeso, pior o resultado;
- Sítio de colapso da via aérea: as obstruções na orofaringe respondem melhor que as da velofaringe;
- Alteração no tamanho da via aérea superior em resposta ao avanço mandibular;
- Entre outros...
Mas, também pode-se ter insucesso relacionado ao tipo de aparelho utilizado (deve ser individualizado para cada caso), grau de avanço mandibular, falha em não resolver as possíveis intercorrências, etc. A associação Brasileira do Sono recomenda a procura por um dentista especializado no assunto.